Tags

, , , , ,

Lembram do meu post “Rapidinha no churrasco“? Quem leu,deve se lembrar que comentei que nesse mesmo churrasco,rolou outras rapidinhas,inclusive uma na piscina,sim? Pois é sobre essa rapidinha que irei falar no post de hoje.

Aquele dia tinha feito muito calor e a noite não foi diferente. Após a janta, enquanto uma roda de amigos se entretinha jogando pocker,e outros cantavam,dançavam e se divertiam bebendo e cantando no videoquê, fui me refrescar molhando os pés na água da piscina e de repente dar um mergulho.Essa era a minha intenção inicial,que rapidamente foi mudada quando vi Ricardo vindo em minha direção. Sabia que dali muita coisa poderia acontecer. E como gostei ao imaginar todas as possibilidades que poderiam rolar naquela piscina entre ele e eu… Ele veio todo faceiro de sorrisinho de canto de boca (pra não dizer com cara de safado) sentando ao meu lado, ofereceu seu copo de bebida e começou a enrolar comentando sobre o quanto calor estava fazendo naquela noite e o quanto aquela viagem estava sendo boa ao lado dos amigos.Confesso que sou uma pessoa que geralmente deixo o homem dar as coordenadas e eu vou “dançando conforme a música”.
Porém existem casos em que não consigo e acabo partindo eu mesma pro ataque. Esse dia foi assim. Sabia que ele estava doido de vontade de ficar comigo mas estava um pouco desconfortável por estarmos sentados à beira da piscina,local público. Resolvi ajudá-lo deixando o copo de bebida na beirada da piscina e entrando perguntei:

” – Já transou dentro de uma piscina?”   Perguntei a ele com carinha de safada,tentando trazê-lo pra junto de mim.

” – Nunca,principalmente assim no meio da galera. “ Ele meio sem graça e atônito me olhava de olhos arregalados.

” – Então vem cá que eu quero te mostrar como é.”  Disse a ele indo de encontro ao seu corpo. Não queria saber se alguém poderia nos ver ali dentro ou se tinha alguém assistindo àquilo que estávamos com intenção de fazer.
Aquele calor e toda aquela adrenalina de me imaginar transando a poucos metros de distância dos meus amigos estavam me deixando cada vez mais excitada.

Nos beijamos. Sentia Ricardo nervoso (claro que eu também estava) mas super afim de curtir aquele momento. Entrelacei minhas pernas em sua cintura e pedi que ele tirasse seu calção. Nossas respirações ofegantes,corpos quentes e suados ainda que dentro da água eram como se fosse um só,tamanha intensidade com que nos abraçávamos. Nossos rostos “pegavam fogo” pelo tesão que estávamos sentindo ali.Com o balanço da água,já sentia a cabecinha do seu pau batendo na minha bunda e roçando por cima da calcinha.
Ele com seus dedos ágeis e sapecas,colocou minha calcinha de lado e começou a me masturbar dizendo que iria me comer ali mesmo,dentro da água.E assim foi. Todo nosso nervosismo havia sido substituído por uma fome tremenda de sexo. Mas aquele sexo rápido,selvagem…Sem amor ou carinho,mas com pegada forte,tesão ainda que sem faltar o respeito.

Os gemidos abafados para não chamar a atenção de ninguém, as sacanagens ditas no ouvido um do outro e toda aquela adrenalina aumentavam ainda mais todo prazer sentido, a excitação era imensa.
Já estando perto de gozar,ele sentou na beira da piscina e passei a chupá-lo.

Enquanto chupava,batia uma punheta. Não passou muito tempo, recebi leitinho quente dentro da minha boca e continuava mamando, Chupei e lambi tudinho. Passada toda a euforia, dei em Ricardo um beijo de boa noite e vestindo minhas roupas, segui ao meu quarto.
Pude ver que não havia mais ninguém na sala de jogos, todos haviam ido se deitar. Talvez aquela foda tivesse sido mais longa do que imaginava.E a única coisa que conseguia pensar, era o quão boa tinha sido aquele momento e se alguém havia nos flagrado na piscina…Será?

Leia também ” Na cabine com o piloto” no blog da @sexorocknroll

Bitokinhas da @mulhersushi pra todos (as) vocês!

Anúncios