Tags

, , ,

Sabe aquela história de encontrar aquele cara que te chamou a atenção em uma festa ou outra,por ter amigos em comum? Então,este era o caso entre Ricardo e eu.Na primeira balada em que o vi,fiquei meio atônita pelo seu charme.Nem padrão de beleza ele tinha,porém o charme era indiscutível.Achei que nunca mais iria vê-lo novamente,mas encontrei mais algumas vezes.Sempre com troca de olhares e sorrisos,nada mais além disso.Porém o quadro mudou no dia em que fui a um churrasco e lá o encontrei novamente.Talvez pela descontração do ambiente,nos aproximamos com mais facilidade.Bebemos,conversamos,demos risadas e descobrimos além de várias coisas em comum que havia no ar uma certa tensão sexual.Sempre que podia,tocava em seu braço,forte,moreno e tatuado.Ai meu Jesus,tenho tara por braço forte e tatuado (disse forte,não bombado).Ricardo em momento algum foi ousado,indelicado ou mal educado.Apenas sorria olhando bem firme e fundo nos meus olhos,mexia algumas vezes no meu cabelo e tocava de forma suave minha coxa,à mostra em uma saia curta.E assumo que muitas vezes esse perfil cativa muito mais que a ousadia e falta de compostura de alguns homens que já chegam falando bobagens.Conversa vai,conversa vem chegamos a conclusão que poderíamos ir à algum lugar mais tranquilo e isolado para ficarmos mais à vontade.Adivinha onde fomos parar? No banco de trás do carro de Ricardo.Não me lembro como,mas quando me dei conta,já estava em seu colo e nos beijávamos intensamente.Eram duas bocas sedentas uma pela outra,línguas que se sugavam e percorriam a boca um do outro.Mãos que passeavam pelos corpos que depois de algum tempo transpiravam e exalavam o cheiro de tesão por todo o carro.

 

Enquanto nos beijávamos,Ricardo arrancou a parte de cima do meu biquini e passou a percorrer sua língua ao redor dos meus mamilos.Isso me deixava mais arrepiada e com mais tesão ainda.Queria que ele chupasse meu seio,queria que ele abocanhasse meu peito dentro daquela boca grande e gulosa.A essa altura,já sentia seu pau enrijecido por baixo de sua bermuda enquanto rebolava em seu colo,ora em movimentos de frente pra trás,ora em movimentos circulares.(Já falei que adoro rebolar em um colo? Tanto quanto ou mais que chupar um pau.São minhas taras).

Estávamos já muito excitados pela adrenalina de estar em um local razoavelmente pequeno (um canto do sítio onde todos os carros estavam estacionados),e pela  possibilidade de sermos pegos por alguém.Já toda meladinha abaixei o zíper de sua bermuda,saquei seu pau pra fora que já a essa altura estava pulsando e colocando a calcinha do meu biquini de ladinho,sentei nele.Pude sentir a cabecinha entrando devagarzinho,escorregando adentro da minha buceta molhada e apertada,depois a glande e o corpo de seu membro.Ele gentilmente não forçou,deixou que eu fosse aos poucos rebolando pra que seu pau entrasse de pouco a pouco.Quando senti que todo aquele membro estava dentro de mim e que já tinha encostado em suas bolas,rebolei gostoso como nunca havia rebolado dentro de um carro na minha vida.Alguns poucos minutos depois,estava cavalgando,gemendo,beijando e mordiscando as orelhas e a nuca de Ricardo,puxando seus cabelos,enquanto ele ora bolinava meus seios,ora os chupava,mordiscava meus mamilos,apertava minhas coxas alternadamente com apertos e tapas na bunda.Gozamos juntos,assim como a transa,um gozo rápido mas intenso.Coração a mil,corpos suados,relaxei ainda em seu colo antes de voltarmos pra área comum do evento,de pernas bambas.E não satisfeitos,ainda tiveram mais duas rapidinhas: de madrugada na piscina e depois no salão de jogos em cima da mesa de sinuca.Mas aí já é assunto pros próximos posts.

Foi um dos melhores churrascos que fui nos últimos tempos,pra não dizer uma das melhores rapidinhas que tive.E hoje ainda espero encontrá-lo novamente. E você,qual foi a sua última rapidinha? Quer me contar?

Beijos gostosos da @mulhersushi

Anúncios