Tags

, , , , , ,

Olá, hoje a desventura me fez lembrar algumas que já vivi, qualquer dia escrevo uma para vocês poderem rir comigo, agora vamos ao que importar, a desventura.

“Depois de namorar 3 anos finalmente consegui convencer meu ex a ir a um motel, afinal, mudar de cenário às vezes é bom, em uma dessas vezes chegamos ao motel super empolgados e no melhor estilo me pega e me joga no capô, só que eu, portadora de TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), nunca consegui sair do carro sem antes travar as portas.
Ele me arrancou do carro, encostou a porta e me jogou no capô, língua vai, língua vem, olhei pelo vidro e vi que a carteira dele estava sobre o banco do motorista, perguntei pra ele onde estava a chave do carro e ele me respondeu que estava no banco do carro. Parei tudo no mesmo momento, ele me olhou desesperado e perguntou por que eu queria saber.Quando disse que travei as portas ele quase enfartou, juro, ficou branco que nem papel e começou a perguntar e agora Ju? E agora????
Eu tentando manter a calma, sugeri que ele ligasse para a recepção e chamasse um chaveiro, mas a recepcionista disse que seria praticamente impossível alguém entrar em um motel àquela hora da madrugada e deu a ideia de alguém trazer a chave reserva do carro. Minha sogra me odiava e sempre dava sermão quando sabia que íamos ao motel e só de imaginar ela entrando pela porta, eu entrei em surto psicótico, disse que de jeito nenhum ele ia ligar pra mãe dele.
Para “noooossa alegria”, o gerente do motel e o faz tudo foram acionados e vieram tentar resolver o problema.A porta do passageiro estava apenas encostada, travada, mas tinha uma brecha, ele retiraram um fio de telefone do porta-luvas do carro do faz-tudo, deram um nó no centro do fio e eu pude presenciar a cena mais bizarra de toda a minha vida, três homens em volta de um carro gritando “Vai! Vai! Uh… quase… vai vai vai”, depois de 25 minutos, eles conseguiram puxar o pino da porta com o nó no fio do telefone e abriram a porta.
Eu, que já tinha broxado por uma geração, tive que ver a cara do meu ex me olhando com raiva e dizendo: “Depois dessa você vai dar de qualquer jeito, nem adianta piar!”
Eu fecho os olhos e lembro da cena direitinho na minha cabeça, 3 homens torcendo por um fio de telefone, como quem torce por um gol na final da copa do mundo!”

Segurou bem a situação, eu teria morrido numa mistura de desespero e risos.
Beijos Da Onça Albina.

Quer enviar sua história para o Desventuras na hora H, clique aqui.

Anúncios