Tags

, , , , , ,

Sempre fantasiei uma foda bem dada com aquele funcionário. Claro que como uma boa líder, eram apenas desejos secretos. A cada contato mais íntimo que tinha com ele em uma simples conversa, sentia meus poros transpirando desejo e tesão por aqueles fortes braços, mãos grandes, rosto másculo, sorriso charmoso, olhar penetrante. Algo me fazia imaginá-lo como o melhor parceiro sexual que poderia ter.
Até o dia que minha história mudou e a sorte sorriu pro meu lado, quando tive que fazer um serviço externo e tive de levá-lo. Foi em um dia que choveu demais, causando um dos maiores congestionamentos em São Paulo, nos últimos tempos.
Ficamos ilhados e não conseguiríamos sair de onde estávamos tão cedo. Então, resolvemos ficar em um bar e esperar a situação se normalizar bebendo uma cervejinha, afinal qual o problema, não?
Bem, uma cerveja viraram três, três cervejas viraram seis e as seis viraram sushizinha cheia de tesão com seu funcionário na porta de um motel qualquer.
 
Ainda no carro, nos beijávamos com intensidade enquanto nossas mãos curiosas percorriam o corpo um do outro. Sentia sua língua explorando cada milímetro da minha boca, hora sugando minha língua, mordiscando meus lábios, chupando meus peitos e roçando os lábios envolta dos meus mamilos, que a essa hora já estavam pra fora do decote de minha blusa. Eu, mais apressada e curiosa levei minha mão pra dentro de sua calça, queria sentir o tamanho de sua vara, que já se encontrava ereta, dura e pulsante…
Beijei cada detalhe do seu másculo rosto, cada centímetro daquele pescoço com aroma de homem e sim, me diverti chupando aquele pau, como sempre tive vontade de fazer.
Corremos pra dentro do quarto, quase que totalmente despidos. Queria que ele me comesse em todas as posições possíveis e imagináveis, queria gozar uma vez atrás da outra, queria sentir ele gemendo ao pé do meu ouvido, sentir nossos corpos suados vibrando em uma só sintonia de prazer e líbidos acentuados.
O ápice foi quando ele me colocando de quatro, segurando em meus peitos, mordiscando minha orelha, veio descendo chupando, mordendo e lambendo meu pescoço, costas… Até chegar no meu cuzinho, arrebitei minha bunda como nunca em toda minha vida, sentindo aquela língua quente, úmida e safada dentro de mim, enquanto ele me masturbava, rebolava por conta do tesão cada vez maior.
Ele me comeu de todas as formas que quis, me chupou, me fez gozar feito uma cachorra no cio e digo que foi a melhor transa que tive nos últimos tempos.
Acho até, que ele passou a ser meu melhor funcionário. Hora extra agora, faço toda semana. Nossas transas são sempre quentes, cheias de química, tesão e embalados a muito rock’n roll…Tem coisa melhor?
Dizem que onde se ganha o pão, não se come a carne. Concordo, desde que você saiba separar as coisas e ter discernimento do papel que cada um exerce dentro e fora da empresa.
Será que nenhum funcionário aí já não sentiu tesão por alguma chefe ou um chefe nunca sentiu tesão por uma subordinada?
Duvido…

#FikDik da semana: Restaurante Shintori >> site

Restaurante sofisticado ideal para ocasiões especiais, datas comemorativas ou para jantar/almoço de negócios. Atendimento impecável e preço um pouco salgado, porém vale a pena. Existe um prato chamado shabu-shabu que eu particularmente adoro, além de ser muito nutritivo, muito saudável e muito calórico. É um prato com verduras e carne fatiada bem fininha, cozidas levemente em água fervente em um fogareiro instalado sobre a mesa. Não há frio que resista a esse prato. Caso queira, veja o vídeo.

Espero que tenham gostado do #FikDik da semana…

Beijos estraladinhos da @mulhersushi

Anúncios