Tags

, , ,

Eis que surge o primeiro desventuras na hora H, achei a história ótima, bem a ideia desta coluna, segue a história que recebemos.

“A minha “DESVENTURA NA HORA H ” foi um tanto quanto inusitada.
Há algum tempo dois amigos queriam que eu saísse com um amigo deles. Eles diziam que ele era o foda.. tinha nascido pra comer a mulherada… e eu sempre contando vantagens das minhas aventuras… me sentia a “fodona”. Nada melhor do que os dois (eu e ele) ficassem juntos, achava meus amados amigos. E foi o que eles fizeram… nos apresentaram num almoço.
Não vou negar que ele era o tipo de homem que eu adoro. Moreno, alto, forte, com um sorriso doce e um papo divertido… Pegava fácil.
Passaram uns dias, fui tomar um chopp com minha amiga e quando eu cheguei no bar, estava ele lá, na mesa com aquele sorriso delicioso de se ver.
Conversamos nós três, rimos, bebemos, uma indireta vindo de um, outra indireta vindo do outro… e minha amiga sendo a mais direta possível, dizia: “Queria tanto que meus melhores amigos ficassem juntos” e ria… Eu morria de vergonha e falava pra ela parar.. não precisava disso… se fosse pra acontecer.. aconteceria, sem interferência dela.
Fui leva-la em casa e dei uma carona pra ele. Mas minha amiga era PHODA, tinha bebido e começou a nos provocar… mordia ele… dizia que queria me dar um selinho. Enquanto eu dirigia, ela pegava minha mão e colocava no pau dele, que já tava duro dentro da calça… Loucura…
Deixamos ela na sua casa e fomos embora… Na primeira esquina paramos e ali mesmo começou a pegação. Coloquei o pau dele pra fora e comecei um boquete delicioso… Que pegada, o cara era tão forte que me pegou e me colocou em cima dele…iria me comer ali mesmo. Mas não dava pra continuar ali no meio da rua. 
Ai eu tive a péssima ideia de leva-lo pra minha casa.  Bem, ele foi, mas ficou extremamente sem graça, ficou com medo de chegar alguem, já que eu não morava sozinha.
Entramos na sala e ali mesmo começou… tiramos a roupa e começamos os amassos novamente… começamos a nos beijar, um tocar no outro, comecei a fazer um boquete e ai, pra minha infelicidade, nada aconteceu. Ele começou a rir. Eu parei e fiquei olhando pra ele sem entender nada. Ele olhou pra mim, me pediu desculpas, mas que não tava conseguindo ali… tava com medo de alguém chegar. Ficamos os dois, rindo e jogados no chão da sala. Ele sem graça e eu tentando entender o que eu tinha feito de errado. Foi trágico… Ele me abraçou, todo doce, me beijou e começou a me tocar, os beijos começaram a ficar quentes, ele me pegou e me colocou em cima dele… Montei nele e começamos a nos esfregar.. o pau dele começou a crescer, e quando eu vi.. eu estava montada e encaixada no seu pau grosso e duro. Mas não durou muito… ai foi eu que não conseguia mais… Paramos tudo e desistimos. Ele me chamou pra tomar banho juntos, até fui… mas não acreditava que tava ali sozinha com aquele monumento de homem, jovem, delicioso e não tinha me divertido. Fiquei irritadíssima e o pior, tentando disfarçar e fingir que tava tudo bem… ele só me pedia desculpas. Eu só queria que ele fosse embora.
Tive que aguentar a zoação dos meus dois amigos, dizendo que os dois “fodões” não eram tudo isso…
Pra finalizar, eu e ele nos falamos algumas vezes, ficamos juntos mais uma vez, mas sexo não rolou. Tentamos ser amigos, mas sempre acontece algo e nos afastamos e eu, frustrada, fiquei na vontade…”

Que desventura, hein, mais sorte na próxima.
Beijos estralados Da Onça Albina.

Quer enviar sua história para o Desventuras na hora H, clique aqui.

Anúncios