Tags

,

Estava com saudades de escrever para a coluna segundas intenções, quero compartilhar com voces, uma das melhores escolhas que fiz em minha vida. Durante uma conversa no twitter, um amigo ofereceu um ingresso para o show do Roger Waters – The Wall e confesso que até aquele momento assistir ao show não estava em meus planos, como disse até aquele momento, era dia 02/04 véspera do show. Um dos melhores shows, com uma estrutura perfeita, com efeitos sonoros, luzes e visuais de arrasar, sem falar das músicas The Wall e Roger Waters que simplesmente dispensam comentários. Senti, como se tivesse voltado no tempo, uma verdadeira viagem de sons, luzes e muito som, em alguns momentos, fiquei sem palavras. Trabalhei com um ingles, há alguns anos atrás e ele contava como tinha sido assistir “The Wall” e como a turne quase deu prejuízo na década de 70 para o Pink Floyd, adorava escutar as histórias e tive a honra de presenciar esse momento histórico. Foi uma viagem ao passado, uma guerra distante, mortes, violencia e pessoas que construiram murros para superar seus traumas, infelizmente tudo muito atual, porém com algumas diferenças, antes as pessoas se importavam, hoje estamos conformados, vi pessoas que não entendiam e eu mesma não entendi por anos.

O primeiro bolachão que ganhei foi do Pink Floyd, tinha mais ou menos 8 anos, tem como não gostar de rock?

O primeiro CD duplo que comprei quando tinha 19 anos e trabalhava com o “tal inglês”

Curiosidades The Wall

  • O disco foi lançado em 1979, um dos mais vendidos no mundo até hoje é um álbum conceitual que tem como tema central o personagem fictício Pink, baseado nada menos que em Waters. Assim como o baixista, Pink perdeu o pai morto na Segunda Guerra Mundial. Superprotegido pela mãe e oprimido pelas estruturas ultrapassadas da escola, ele constrói o tal muro em sua conciência para isolá-lo da sociedade opressora.
  • Escrito e produzido por Roger Waters, o show traz efeitos especiais como as imagens de Gerald Scarfe, o avião batido, o som quadrafônico, e o famoso porco voador do Pink Floyd.
  • Foi  construída uma parede de 137 metros de largura e 11 metros de altura. Os 424 tijolos utilizados são reciclados e re-reciclados após o uso. Além da parede, o espetáculo tem mil “tiros” de fogos de artifício e a presença de três bonecos infláveis gigantes: a mãe, com 10 metros de altura, a esposa, com 9 metros, e o professor, também com 9 metros de altura.

Saí do show, eufórica, sem palavras e com a sensação que se morresse naquele momento, morreria feliz.

Beijos e até o próximo post!

Anúncios